Reunião com executivos da Caixa realizado em SP

reuniao geral 2

             Neste dia 24, a Federação se encontrou com executivos da Caixa Econômica Federal. Presentes o Sr. Celso Leonardo, Assessor Estratégico da Presidência da Caixa e os já conhecidos da Rede, Thays Cintra Vieira e Gilson Cesar Pereira Braga.

             Thais disse para os presentes que está muito feliz com o momento atual da Categoria mediante as expectativas da diretoria da Caixa, nesta nova gestão, que veio com ideias inovadoras. Acredita que muitas mudanças positivas devem chegar para a Rede Lotérica em cerca de 15 dias. Afirmou, portanto, que veio para conversar e esclarecer alguns pontos mas, ainda, não para entregar nenhuma solução para as demandas já conhecidas. Sua expectativa é ter algumas respostas em uma possível reunião em Brasília dia 7 de maio.

CARRO-FORTE
A Febralot cobrou uma solução sobre o carro-forte que há um ano está envias de ser solucionado e até agora nada aconteceu. Extrapolando o acordo firmado entre as partes. O Vice Presidente do sindicato dos Lotéricos do RJ, Marcelo Gomes incluiu outra observação de que, o Rio de Janeiro já havia apresentado presencialmente, em março de 2017, via ofício um estudo com mais de 400 loterias, onde mostrava o prejuízo decorrentes desta questão e, depois disso, outras reuniões que trataram deste tema não apresentaram nenhuma solução. Em dezembro de 2018 foi aprovado o modelo apresentado pela Caixa e o problema não foi solucionado. Em 26 de fevereiro, foi apresentado o valor do citado modelo onde a Febralot aprovou quase de maneira unânime e este adicional seria implantado de imediato com ajustes de remuneração posteriores, até a data base que é julho, junto com tarifas. Tudo registrado em ATA e não cumprido pela gestora. Marlene Falcão, presidente do sindicato da Paraíba reiterou que este problema atinge de norte a sul do país e precisa de solução.

            Thais respondeu dizendo que entende a indignação de todos, sabe que o RJ tem peculiaridades que são diferentes dos demais Estados e isso dificulta uma solução precisa. Disse que a Caixa quer fazer um pagamento de adicional mais justo, pois a Caixa entende que a forma atual não é justa como é feita. Justificou que no último modelo apresentado, houve uma observação jurídica, e ela não estava segura de ser uma prática ideal. Assim, solicitou mais prazo a fim de conseguir uma equalização melhor desta distribuição e que acha que na primeira quinzena de maio deve já ser apresentada uma definição.Reuniao Jo

            Jodismar Amaro, presidente da Febralot, destacou que esta é uma questão que não depende de redistribuição para ser solucionada, mas sim de um maior aporte financeiro por parte da Caixa e sem isso sempre haverá dificuldades para equalizar a distribuição. 

            Thais disse que a metodologia a ser aplicada será a que já foi combinada anteriormente com a Febralot e que este sistema permitirá uma equalização melhor desta distribuição, e que devem apresentar uma proposta para reajuste. Concluiu dizendo a todos que não há nada relacionado à Rede Lotérica que esteja parado na Caixa, nesta nova gestão, que todos os assuntos estão sendo discutidos para se tornarem viáveis e solucionados.

TARIFAS
Jodismar cobrou sobre a questão das tarifas e da data-base ao que a Thais reafirmou que ainda não tem absolutamente nada para passar sobre estes itens, mas prometeu que terá algo para a reunião de Maio. Destacou que estão viabilizando o que foi acordado e a Caixa está finalizando as questões seguindo aquelas diretrizes. Isso incluirá tanto o carro-forte quanto a metodologia de reajuste anual.

         A Febralot cobrou que haja uma simplificação no formato de apuração dos custos para a aplicação do reajuste e a Thais confirmou que pretende ir por este caminho.

JOGOS
O Gilson foi questionado pelo presidente Jodismar sobre o andamento dos produtos e quais novidades ele teria para a Rede. Gilson abordou em tópicos:Reuniao Gilson
Reajuste das apostas: Informou que o setor está com um novo vice-presidente chamado Paulo Angelo e este assunto que vem sendo tratado junto à Febralot desde o final do ano passado deve ter em breve alguma novidade e ele espera que consiga levar algo na reunião de maio também. Disse ainda que os trâmites legais seriam feitos junto ao Ministério da Economia em seguida.

NOVOS PRODUTOS
Super Sete: É um lançamento que está sendo tratado com atenção, o andamento ainda está caminhando internamente e ainda não tem aprovação do Sefel.

Outras demandas: Devem ser apresentadas também na referida reunião que incluem a Loteria Federal virtual, que é uma solicitação da Febralot já há algumas reuniões. Sendo esta reunião um encontro de alto caráter técnico e que, dali sairá estratégias que devem favorecer os desenvolvimentos seguintes em termos de produtos. Destacou que as reuniões com a comissão de produtos junto à Febralot teve uma lentidão, mas que com a nova gestão da Caixa devem ser retomadas atendendo muitas das reivindicações sugeridas pela Federação. Destacou que há um interesse em melhorar muitos itens do portfólio, já antecipando que existem questões legais que serão solucionadas para não travar o andamento. Disse que já está levando ao vice-presidente do setor a questão de contratar uma consultoria para analisar todo o portfólio a fim de melhorá-lo e, ainda, falou também com o futuro presidente da Caixa Loterias sobre esta necessidade e para buscar referências no mercado internacional e rentabilidade no mercado interno.

Caixa Loterias: Está sendo tratada com muito cuidado para realizar uma migração segura quanto ao seu posicionamento, implantação, adequação da Rede Lotérica, seus contratos e ativos que pertencerão a esta empresa a fim de apresentar para o presidente para, após a aprovação deste, aí sim iniciar o processo de migração. Gilson destacou que este caminho é algo que já segue a tendência mundial e deve ser muito promissor para o setor no Brasil.

Lotex: O processo já deve envolver um acordo comercial com a utilização da Rede junto ao eventual ganhador, trazendo este produto para o portfólio. Celso Leonardo destacou que este novo momento da Caixa junto ao atual governo converge com muitos dos pleitos da Categoria e que isso deve favorecer e muito os resultados pois estará com uma governança internacional e isso é um grande avanço. A Caixa Loterias deve ser muito mais ágil na solução das principais questões apresentadas no tocante a tempo de reajustes e equalização de valores para uma realidade atual. Frisou que será uma mudança completa no segmento e de altíssimo nível. Garantiu que com essas mudanças os empresários da Categoria vão ganhar mais e isso é um compromisso da nova administração com a estatal trabalhando no ritmo de empresa privada. Aproveitou para citar que já está aprovado e encaminhado um novo plano de marketing que já insere as loterias e o mercadológico como foco. Thais assumiu a palavra e disse que a Caixa precisa elaborar um plano de marketing para as loterias físicas, na rede social e pediu a Febralot para desenvolver e consolidar ideias que atendam o país de norte a sul com os melhores caminhos para as loterias neste sentido. Celso destacou neste ponto que a Caixa está focada em trabalhar questões regionais para atender melhor a demanda e isso será levado também à área de marketing com propagandas mais regionalizadas.

ATPreuniao Caixa
Thais destacou que é um problema de difícil solução, mas que está sendo discutido internamente para encontrar uma solução. Disse que a troca não se resolve em menos de 90 dias e isso é muito arriscado. Por conta disso está se estruturando um grupo de crise para evitar que lotéricas sofram maiores problemas. Disse que os Sindicatos podem acioná-la em caso de emergência porque ela estará a frente destas ações mas para ficarem tranquilos que a solução virá.